25 de noviembre de 2013

Debate: África Contemporânea e Lançamento: Livros no SESC Pompéia (X Bienal de Arquitetura de São Paulo)

África Contemporânea. 28/11 ÀS 19H

Na próxima quinta-feira dia 28 será realizado no SESC Pompéia (Modos de Colaborar) o debate "África Contemporânea" como parte do programa da X Bienal de Arquitetura de São Paulo com o tema Cidade: Modos de Fazer, Modos de Usar”.

O debate abordará o projeto das Cidades Aquáticas Africanas. Também será discutido o tema da influência dos imigrantes na formação da cidade de Nairóbi (Quênia), além da experiência dos campos de refugiados que se tornaram cidades na Argélia.

Lançamento dos livros “From Camp to city: Refugee Camps of the Western Sahara” de Manuel Herz – ETH Studio Basel e “Nairobi: Migration Shaping the City” de Shadi Rahbaran, Manuel Herz e Ligia Nobre (ETH Studio Basel).

Participantes:
Kunlé Adeyemi – NLÉ studio (Lagos, Nigeria), Shadi Rahbaran, Manuel Herz (ETH Studio Basel – Nairóbi) e Ligia Nobre (Curadora Adjunta da X Bienal)
Evento gratuito. Chegar com 15 minutos de antecedência, vagas limitadas.

Local: Sesc Pompeia

20 de noviembre de 2013

Evento: "Zona Verde – Parklet" intervenção urbana em São Paulo [BRA]


As “Zonas Verdes” foram inspiradas nos ”parklets” criados em São Francisco, nos Estados Unidos, e surgem como forma de converter o espaço de estacionamento de automóvel na via pública em área recreativa temporária. O objetivo central do projeto é estimular a discussão das cidades para as pessoas e o uso do solo com equidade.

O Instituto Mobilidade Verde, co-realização do grupo Design Ok , Patrocínio Vitacon, apoio da Concresteel, Nomen , NeoRex, Florestas Urbanas, X Bienal de Arquitetura, Gentilezas Urbanas do Secovi-SP (Sindicato da Habitação de São Paulo) e Summit querem promover a segunda etapa (vejam aqui o post da 1º ediçao) do diálogo com a sociedade brasileira sobre modos de fazer e usar a cidade, e ainda levantar questões acerca dos espaços públicos e o uso do solo por meio das “Zonas Verdes”.

Com atividades diárias o "Zona Verde" conta com exposições, seminarios, debates, música, passeios entre outros. Confira a continuação a programação para as próximas semanas.

18 de noviembre de 2013

IAB-AM: Carta contra a destruição da "Casa do poeta Thiago Mello", projetada por Lúcio Costa [BRA]

Casa do poeta Thiago de Mello, projeto Lucio Costa, 1978
(Foto: Acervo Lucio Costa - 1982)
A ameaça de demolição da casa do poeta Thiago Mello, projetada pelo arquiteto Lúcio Costa, no município de Barreirinha (Estado do Amazonas), motivou a presidência do IAB-AM a redigir uma carta, durante a última edição do Q+50, realizada no Palácio Quitandinha, nos dias 8 e 9 de novembro, de apoio à preservação e à valorização do imóvel.

Maquete da Casa Thiago de Mello. Fonte: Expo Lucio Costa - Arquiteto

A Prefeitura de Barreirinha, a 331 quilômetros de Manaus, quer remover a casa por causa das obras de revitalização da orla da cidade. Leia abaixo a íntegra da carta:

Carta de Apoio a Preservação e Valorização da Casa Thiago de Mello, projetada por Lúcio Costa.

Exposición y Conferencias: Jornadas Metro[CITY] en Sevilla


JORNADAS Metro[CITY]
Movilidad Sostenible y Accesibilidad en la Ciudad Contemporánea 

La Consejera de Fomento e Vivienda se complace en invitarle a la inauguración de la Exposición y las Jornadas Metro[CITY] que tendrá lugar el próximo miércoles, 20 de noviembre a las 17:00 horas en el Antiguo Convento de Santa María de los Reyes, Calle Santiago, 33 - Sevilla, España.

JORNADAS
20 y 21 de noviembre de 2013

EXPOSICIÓN
Del 20.11.2013 al 12.01.2014

LUGAR
Antiguo Convento de Santa María de los Reyes, 33 - Sevilla.


Fuente: Fomento y Arquitetura

14 de noviembre de 2013

Seminário: "O Novo Plano Diretor de São Paulo" no dia 26 de Novembro (SPO)


Atençao Arquitetos e Urbanistas em Sao Paulo,

"No dia 26 de novembro a AsBEA – Associação Brasileira de Escritórios de Arquitetuta – promoverá o Seminário Internacional AsBEA – O Novo Plano Diretor Estratégico de São Paulo e seus Impactos nos Novos Empreendimentos, que pretende oferecer através de um dia de trabalhos, a troca de experiências em modelos e estruturas de intervenções em escala urbana já realizadas e ainda se aprofundar nos instrumentos e parâmetros urbanísticos, propostos pela Revisão do Plano Diretor Estratégico e buscando esclarecer o que será possível construir na cidade".

O evento acontece no Maksoud Plaza Hotel, em São Paulo, das 8:30 às 18:30.

Serão debatidas e esclarecidas questões como:

- Que desenho de cidade teremos a partir da entrada em vigor do novo Plano Diretor estratégico?
- O que será possível instalar na Macroárea de Qualificação Urbana?
- Como ficarão os empreendimentos ao longo dos Eixos de Estruturação da Transformação Urbana?
- Como poderão se caracterizar os empreendimentos fortemente estimulados nas regiões sul e leste?
- Como a sustentabilidade participa dos processos de reurbanização e requalificação das infraestruturas urbanas?

Confira a promação completa a continuação:

11 de noviembre de 2013

EXPO: Instituto Lina Bo e P. M. Bardi e X Bienal de Arquitetura de São Paulo (SPO)

Passado nosso breve recesso, voltamos, e para falar sobre a Casa de Vidro (São Paulo, 1950) projeto da arquiteta Lina Bo Bardi, a casa que foi sua residencia particular e que já há algumas décadas se localizado o Instituto Lina Bo e P. M. Bardi. Aproveitamos também para falar um pouco mais sobre a X Bienal de Arquitetura de São  Paulo, dado que dentro da casa estará exposto até o dia 24 de novembro, o projeto proposto por "Lina" para a Recuperação do Vale do Anhangabaú, organizado pela prefeitura em 1981, concurso no qual Lina Bo Bardi não resultou vencedora.

Imágens do Livro (Casa de Vidro © Lisboa, 1999 - Editorial Blau)

Casa de Vidro (Instituto Lina Bo e P. M. Bardi)

"A Casa Bardi foi a primeira casa que se construiu no Jardim Morumbi, quando o bairro ainda não tinha este nome (antiga Fazenda de Chá Muller Carioca). Era uma grande reserva de Mata Brasileira, cheia de bichos selvagens... Era também uma reserva de pássaros... 
Atrás da antiga Casa da Fazenda toda branca e azul, que conserva ainda os ferros e as correntes do tempo da escravidão, e os enormes tachos, bacias de cobre e outros utensílios, e atrás  ainda da senzala cor-de-rosa e das grandes figueiras, estendia-se o lago, ladeado de araucárias, com uma Mata Atlântica ao fundo, cheia de orquídeas e plantas raras. Um enorme silêncio e muitas lendas populares envolviam a Casa Grande e a mata...

Imágens do Livro (Casa de Vidro © Lisboa, 1999 - Editorial Blau)