29 de octubre de 2010

Olimpiadas 2016 - Rio / BCMF arquitetos

Rio 2016/BCMF Arquitetos

Olimpíadas 2016 - artigo publicado no Portal Vitruvius
Rio de Janeiro, 2008

BCMF Arquitetos [Bruno Campos, Marcelo Fontes y Silvio Todeschi]


Rio 2016
Depois de liderar, em 2005, a equipe multidisciplinar responsável pelo premiado projeto do Complexo Esportivo de Deodoro para os Jogos Pan-americanos, realizados na capital fluminense em 2007, os arquitetos Bruno Campos e Marcelo Fontes (do escritório BCMF Arquitetos, de Belo Horizonte MG) voltam se envolver com um grande projeto arquitetônico esportivo_ desta vez o das Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro.



Além de Bruno Campos e Marcelo Fontes, também participaram do projeto vencedor os arquitetos Silvio Todeschi e Carlos Teixeira, responsável pelo paisagismo. Para vencer a concorrência realizada pelo COB (Comitê Olímpico Brasileiro) em 2008, os arquitetos tomaram a decisão de não aceitar novos clientes durante o período e dedicar-se, durante quase um ano, exclusivamente à concepção da arquitetura das Olimpíadas, ao lado de 20 profissionais e parceiros de seu escritório. O Dossiê da candidatura brasileira foi considerado pelo COI (Comitê Olímpico Internacional) como da “mais alta qualidade técnica” entre as quatro cidades concorrentes – Rio, Tóquio, Chicago e Madri. No total, a BCMF entregou mais de 700 arquivos de projeto entregues ao Comitê Organizador, além das perspectivas e plantas finais incorporados ao Dossiê (1).



O escritório foi responsável pela concepção dos estudos preliminares (de arquitetura e paisagismo) da maioria das edificações que precisarão ser construídas e ampliadas, trabalhando em conjunto com a equipe Rio2016 e a consultoria internacional EKS/JBD (responsáveis pelos projetos operacionais e overlay), atendendo a tudo o que será necessário para o perfeito funcionamento das Olimpíadas, a partir dos pré-requisitos determinados pelo COI e de estratégias definidas pelo COB junto com os três níveis de Governo (Prefeitura, Estado e União). A BCMF foi responsável pela arquitetura de 17 novas instalações permanentes e a complementação de 3 instalações existentes, principalmente nas regiões da Barra da Tijuca e Deodoro (Zona Norte do Rio, onde já haviam feito o projeto do Complexo Esportivo de Deodoro para o Pan 2007). Além disso, o escritório também deu suporte para a equipe Rio 2016 no desenvolvimento de algumas instalações temporárias especiais e foi responsável pela maioria das imagens do Dossiê.



Veja o artigo completo, com inúmeras imagens com toda a referencia projetual e administrativa !!!

27 de octubre de 2010

Artigo sobre a "actual cidade do Rio"


Para o futuro, o Rio é hoje (1)
Sérgio Magalhãe - artigo publicado no Portal Vitruvius
Foto Nelson Kon

Enquanto a inflação esteve sem controle, propostas de interesse público não tinham condições de debate, obscurecidas pela premência do quotidiano indomável. Foi preciso superar a inflação para que um conjunto de possibilidades se apresentasse ao desenvolvimento. E hoje, há quase duas décadas de estabilidade, já se diz que o ‘futuro chegou’. O país do futuro é o Brasil de hoje.

Similarmente, a explosão demográfica que inchou as cidades fez, para o planejamento urbano, o papel que a inflação fazia para o planejamento econômico: anulava qualquer racionalidade. Mas nossas principais cidades já não tem aumento acelerado de população. No caso do Rio, desde os anos oitenta é a cidade metropolitana que menos cresce no Brasil. Temos estabilidade demográfica. Nesse sentido, diria que, para a cidade, o futuro já chegou.

Não obstante, continuamos a tratar o Rio como se tudo tivesse que ser refeito. Vivemos uma certa inércia epistemológica que justificaria expandir o tecido urbano à espera das multidões que jamais virão.

Ora, o baixo crescimento demográfico é fator muito positivo para compor o quadro de planejamento que desenhe as próximas décadas de nossas cidades. Em contraponto, também os recursos públicos terão estabilidade. Não serão infinitos.

Assim, dois temas essenciais e complementares se impõem: o cuidado com a cidade existente e o projeto da cidade sustentável.

É com a cidade com que chegamos até aqui que teremos que construir o lugar das próximas gerações. E, para elas, nosso compromisso há de ser uma cidade igual ou melhor do que a herdada.

23 de octubre de 2010

Cádiz acogerá la VIII Bienal Iberoamericana de Arquitectura y Urbanismo en septiembre de 2012

La ciudad de Cádiz ha tomado el relevo de Medellín


Se eligió a la capital gaditana como nueva sede para el 2012, en el marco de la conmemoración del Bicentenario de la Constitución de 1812.

Cádiz ha sido elegida frente a las otras dos ciudades que competían por convertirse en escenario de la VIII Bienal, Rosario (Argentina) y Belo Horizonte (Brasil).

Como antesala de esta Bienal, el próximo enero comenzará en Cádiz un ciclo de trece conferencias, en las que participarán el arquitecto español Rafael Moneo y el portugués Álvaro Siza, galardonados con el premio Pritzker, el "Nobel" de la Arquitectura.
Fuente: El Diario de Cádiz