6 de diciembre de 2017

11ª Bienal de Arquitetura de São Paulo - Programação



EXPOSIÇÕES E PROGRAMAÇÃO

Apresentamos a agenda de dezembro da 11a Bienal. A programação completa e atualizada de atividades será divulgada no site da Bienal e nos pôsteres da programação, divulgados semanalmente até o fim de 2017. Confira: www.11bienaldearquitetura.org.br


PROGRAMAÇÃO DEZEMBRO

Provocando Cidades ação
02, 09 e 16/12, das 13 às 15h
Sesc Parque D Pedro II - Praça São Vito, s/n - Brás
aberto ao público e gratuito

Jane Hall / Assemble (Inglaterra) palestra
6/12, das 19 às 22h
Praça das Artes: Av. São João - Centro
aberto ao público e gratuito

Cumbica e Contracondutasexposição e lançamento do livro do Projeto Contracondutas
Abertura: 07/12, das 19 às 22h
Casa do Povo: R. Três Rios, 252 - Bom Retiro
Funcionamento da exposição: 8/12 a 19/12 e 16/01 a 27/01
terça a sábado, das 14 às 19h
aberto ao público e gratuito

Era o Hotel Cambridgeprojeção de filme e skype São Paulo-Augsburg
8/12, 18h: filme e 20h: skype
Ocupação 9 de Julho: R. Álvaro de Carvalho, 427. Bela Vista

Microtopia - Manifestação Poética05/12 e 08/12, às 18h
09/12 e 10/12, às 15h
Parque da Aclimação - Concha Acústica
R. Muniz de Souza, 1119
Inscrições: elascoletivo@gmail.com
aberto ao público e gratuito

Otrório
jogo
09/12, das 13 às 20h
Sesc Campo Limpo - R. Nossa Sra. do Bom Conselho, 120 - Vila Prel
aberto ao público e gratuito

Bioconstrução: a barraca móvel de bambu construção de uma barraca de bambu
09/12, da 8 às 13h
Casa de Cultura Candearte - R.: Marcelino Correa de Melo, 100 - Parque Marabá, Taboão da Serra
aberto ao público e gratuito

MOVAcidade: sobre rodas... sobre trilhos... sobre pés… Trupe Sinhá Zózima com o arquiteto Eduardo Pizarro
percurso urbano
10/12, às 11h
Sesc Itaquera (percurso segue até o Sesc Parque Dom Pedro II)
Duração de 5h | 20 vagas, inscrições 30min antes
17/12, às 15h
Sesc Parque Dom Pedro II
aberto ao público e gratuito

5 de marzo de 2017

CARME PIGEM, RCR y el PRITZKER ARCHITECTURE PRIZE 2017

Estúdio RCR Arquitectes
El pasado jueves día 2 de marzo en todos los medios resplandecía la noticia. El galardón más importante de la arquitectura, The Pritzker Architecture Prize, se concedía en su edición de 2017 a tres arquitectos con estudio en Olot, Girona, que además son asesores del Parque Natural de la Zona Volcánica de La Garrotxa.

Se trata de Rafael Aranda, Carme Pigem y Ramón Villalta, RCR arquitectes. Esta relevante distinción considerada ‘Nobel de la arquitectura’ se concedió por vez primera en 1979 a Philip Johnson, autor de las madrileñas Torres KIO, dos rascacielos inclinados también conocidos como ‘Puerta de Europa’, si bien al año siguiente se otorga al ingeniero mexicano Luis Barragán cuya obra a escala más humana y de primorosa factura se aleja de la desmesura del norteamericano.



Parque de la Piedra Tosca (Les Preses, 2004)

Desde entonces la lista de profesionales distinguidos por la Fundación Hyatt ha oscilado, desde la arquitectura espectacular y mediática, como la de Hans Hollein, Frank Ghery o Christian de Portzamparc; al rigor disciplinar y coherentemente moderno propio de esforzados artesanos de la arquitectura, como Oscar Niemeyer, Tadao Ando, Rafael Moneo, Paulo Mendes da Rocha o Eduardo Souto de Moura. En 2002 se premia a Glen Murcutt, arquitecto australiano cuyo trabajo se caracteriza por las soluciones simples, eficaces, inventivas, así como adecuadas al medio ambiente y a las tradiciones populares de su tierra.


Biblioteca Sant Antoni-Joan Oliver (Barcelona, 2005)

Una decisión del jurado de ese año precursora de ésta que ha premiado la discreta labor de Rafael, Carme y Ramón. Conocí a Carme Pigem en febrero de 2003, ella ya era una prestigiosa arquitecta muy joven, y su equipo RCR arquitectes destacaba por su trabajo apegado a la naturaleza mediante una arquitectura lenta, silenciosa y sostenible. Por eso la seleccionamos para participar en el jurado que concedió la primera edición de los premios de arquitectura que con carácter bienal concede el Colegio de Arquitectos de Cádiz, en el cual yo tenía el orgullo de ejercer como su primer Decano. Se establecieron dos premios, el Sánchez Esteve en honor al arquitecto que introduce en Cádiz el Movimiento Moderno, y el Premio Torres Clavé para arquitectos jóvenes que lleva el nombre de ese profesional novel que murió combatiendo en nuestra guerra civil después de haber liderado la modernidad durante la República. 

La intervención de Carme tuvo mucho que ver con las características de las obras premiadas: la Casa de las Estrellas, de Jesús Orúe y Pedro Ledo, una vivienda mínima bien resuelta con recursos sencillos; y el Sendero del Pinar de la Algaida, de Ramón Pico y Javier López, intervención sostenible sobre un espacio natural tan delicado como el Parque de los Toruños.


Restaurante Les Cols (Girona, 2005)

Carme nos sedujo a los demás participantes en el jurado, entre quienes también estaban Juan Antonio Corrales, Javier García Solera, Víctor Pérez Escolano y Raimon Torres, todos ellos reputados maestros de tan noble disciplina.

La obra de Carme Pigem Barceló y de sus dos compañeros está inspirada en el singular paisaje de su tierra, algo muy visible en el Parque de la Piedra Tosca (Les Preses, 2004), que recupera una tradicional explotación agrícola de cráteres volcánicos. Surgen también de estas ideas obras recientes en entornos urbanos, como la biblioteca Sant Antoni-Joan Oliver en una manzana del Ensanche de Barcelona (2005), el restaurante Les Cols (2005) y la guardería Els Colors (Manlleu, 2006). 


Guardería Els Colors (Manlleu, 2006)

Es una satisfacción que tan solemne distinción se conceda este año a una forma humilde de construir, alejada de estos acontecimientos plásticos ajenos a la arquitectura para hombres y mujeres que muchos deseamos.

Fuente: Texto publicado originalmente en el periódico La Voz de Cádiz.

19 de junio de 2016

Políticas públicas, Planejamento Urbano, Ambiental e desafios regionais são temas do seminário do SEMASA (ABC)


Com o objetivo de debater alternativas que contribuam para a solução ou mitigação dos problemas relacionados à mobilidade urbana e à saúde ambiental nas grandes cidades, o SEMASA, com patrocínio da Caixa e Governo Federal, promove o Seminário “A Cidade Ideal e a Cidade Real: Meio Ambiente e Mobilidade Urbana” no dia 21/6. 

A atividade é parte das atrações do Mês do Meio Ambiente de Santo André e vai acontecer no anfiteatro Heleny Guariba a partir das 8h. A participação é gratuita e aberta a todos os públicos. Os interessados devem fazer inscrição neste link.

O evento terá três mesas temáticas, que contarão com a participação de diversos especialistas e pesquisadores do setor de saneamento, meio ambiente, saúde, gestão pública e infraestrutura urbanística. O foco principal será discutir as relações entre os hábitos de consumo da sociedade e seus impactos na qualidade ambiental da cidade.

A primeira mesa, “Ferramentas da política pública e os desafios regionais”, será aberta às 9h30 pelo superintendente do Semasa, Sebastião Ney Vaz Jr. O debate trará a participação do diretor geral da unidade de gerenciamento do Programa de Mobilidade Urbana Sustentável de Santo André, Edilson Factori, e da coordenadora de programas e projetos de Consórcio Intermunicipal Grande ABC, Sandra Teixeira Malvese.

Às 11h o debate muda de temática e traz experiências sobre “Modais alternativos e o reflexo no meio ambiente e saúde. Mobilidade limpa e sustentável”. A mesa será composta pelo pesquisador do Laboratório de Poluição Atmosférica Experimental e do Núcleo de Estudos de Epidemiologia Ambiental da Faculdade de Medicina da USP, Luiz Alberto Amador Pereira; pela gerente comercial da Eletra Industrial, empresa pioneira na produção de ônibus elétricos, Iêda A. Oliveira; e pelo professor de mobilidade urbana do curso de Engenharia, Modelagem e Ciência Sociais Aplicadas da UFABC (Universidade Federal do ABC), Humberto Paiva Júnior.

Após o almoço, o seminário dá espaço para a terceira mesa que vai debater “Planejamento: urbano e ambiental – indissociável”. Dela participarão Fernando Felippe Viegas, coordenador de pós-graduação lato-sensu da associação Escola da Cidade; Jeroen Johannenes Klink e Francisco de Assis Comarú, respectivamente coordenador de mestrado e orientador de mestrado e doutorado do Programa Planejamento e Gestão de Território da UFABC.

Confira a programação completa e mais detalhes sobre os convidados abaixo. As inscrições já estão disponíveis e devem ser feitas pelo site do SEMASA.

SERVIÇO

Seminário “A Cidade Ideal e a Cidade Real: Meio Ambiente e Mobilidade Urbana”

Data: 21/6/2016

Horário: A partir das 8h (credenciamento)

Inscrições: Clicando aqui

Evento Gratuito

PROGRAMAÇÃO:

MAPACAD, acervo de cidades em DWG


O site MAPACAD permite download de mapas das cidades mais importantes do mundo em formato DWG para trabalhar com programas de desenho como AutoCAD ou BricsCAD. 

Essa plataforma facilita a análise dos entornos das cidades na hora de desenvolver propostas para concursos de arquitetura e urbanismo. 

Os dados utilizados para gerar os arquivos DWG são extraídos de fontes de código aberto como www.openstreetmaps.org e estão compostos por um mínimo de 25 layers que diferenciam os elementos tais como bairros, quadras, eixos das vias ou parques, entre outros.


¿Qué es Mapacad.com ?Mapacad.com es una página web donde se pueden encontrar cientos de ciudades en formato dwg listas para descargar y ser utilizadas a través de programas de diseño como Autocad o Bricscad.

¿Cómo se obtienen los planos de Mapacad.com ?Los técnicos de Mapacad usan vários programas de diseño capaces de transformar archivos GIS y Shapefile para transformarlos en archivos dwg. Los datos e información de la mayoría de los planos se obtiene de la plataforma www.openstreetmaps.org.


¿Qué información contienen los planos?Todos los planos tienen un mínimo de 27 capas, siendo de gran interés los ejes de las calles, las autopistas, manzanas y parcelas, los límites naturales como ríos o costas y los barrios.
Aerialway / Aeroway / Amenity / Barrier / Boundary / Craft / Cycleway / Deftpoint / Emergency / Geological / Highway / Historic / Landuse / Leisure / Man Made / Military / Natural / Office / Power / Public Transport / Places / Railway / Routes / Shop / Sport / Tourism / Waterway,

Términos y condiciones:Para conocer los términos y condiciones puedes acceder a: http://www.mapacad.com/es/terms-and-conditions/

Para más información contactar con mapacad@mapacad.com

Fonte: AV (Arquitectura Viva) e MAPACAD

13 de junio de 2016

SEMINARIO INTERNACIONAL PDR-ABC (Resultados)


No passado dia 08 e 09 de junho aconteceu no Auditório da Universidade Federal do ABC (UFABC - Campus SBC) o Seminário Internacional "Desenvolvimento e Governança regional", tal e como anunciamos em um anterior post.
Tivemos a oportunidade de acompanhar a apresentação de alguns expositores e queremos compartilhar com vocês nossas observações desse seminário que levantou questões atuais do cenário urbano que afligem cidades de todo o mundo.
Estamos convictos de que tais iniciativas abrem oportunidade ao diálogo, o primeiro passo para se chegar a um consenso e a partir de então, dar inicio ao processo de planejamento do território e seu tecido urbano.
Acreditamos que estratégias de desenvolvimento econômico sustentável articuladas as transformações sócio-culturais da vida contemporânea podem gerar cidades melhores e mais democráticas.
A continuação nossas anotações:

DIA 08.06.2016 - 10 H
GOVERNANÇA TERRITORIAL, DEMOCRACIA E DESENVOLVIMENTO
(Moderador: Luiz Marinho - Prefeito de SBC e Presidente do Consorcio Intermunicipal do Grande ABC)


Expositor 1: EDUARDO MARQUES (CEM-CEBRAP)
“Redes Sociais, o Território e a (re)constituição da Metrópole”
- Estatuto da Metrópole não menciona a questão dos investimentos.
- Ressalta a importância dos planos de mobilidade urbana, macro e micro-drenagem, logística e a questão dos modelos viários.
- Macrozoneamento (PDR-SP e PDR-ABC)
- Preservação dos Mananciais, das Nascentes, incapacidade e poucos investimentos por parte da SABESP.
- Pano de Fundo do PDR - Plano Diretor Regional e seus problemas
- Entender o momento a partir de comparações; crise similar a da Década de 90.
- Conseqüências: Pobreza cresce na zona urbana, será preciso soluções a longo prazo.
- “Sinergias Produtivas Acumuladas” e a recuperação das zonas mais afetadas.
· LONDRES + PARIS
- Exemplos de planejamento urbano em situações críticas,
- Resolução das questões metropolitanas, organização e modelos de governança.
- Planejamento Territorial e a Habitação Social como prioridade.
· BRASIL
- 1974: Privatizações do período da ditadura; água e esgoto, energia, água, telefone...
- 1994: Plano Metropolitano Inter-Regional.
- 2014: Plano de Ação da Macrometrópole.
- 2015: Estatuto da Metrópole.
- 2016: Avanços Institucionais; porém falta coordenação, investimentos e baixa consolidação dos propósitos. Tendência de judicialização X Estatuto da Cidade.
· DESAFIOS INTERMUNICIPAIS
- Técnico e capital humano.
- INTERSETORIALIDADE. Conflitos, cita a Represa Billings e sua diversidade de usos: Abastecimento, Lazer, Reservatório e com a passagem do rodoanel, transporte.
- POLÍTICA DE GESTÃO. Coordenação e mobilização dos agentes públicos e privados.
- PADRÕES DE GOVERNANÇA. Atores, Instituições e Processos.
- ARTESANATO POLÍTICO. Costuras e operações, diálogos, redes são estruturas de médio alcança.
. Estruturas formais e padrões de governabilidade. Redes Sociais e Território.

Expositor 2: JOAQUIM OLIVEIRA MARTINS (OCDE - PARIS)
“Governança Metropolitana e Desenvolvimento”
· URBANISMO E DESENVOLVIMENTO
- Governança pública territorial, ressalta que as políticas públicas esqueceram do território.
- 1970-2014 houve um boom da urbanização.
- Afirma que o PIB não representa o desenvolvimento econômico de uma nação.
- ASIA. Relação mais direta entre urbanização e desenvolvimento econômico.
- AMERICA DO SUL. Não tem a relação citada anteriormente.
- Será necessário um “RETROFIT” das cidades latino americanas.
· O QUE DEFINE UMA CIDADE ?
- A densidade da área urbana funcional.
· QUE TIPO DE CIDADES QUEREMOS ?
- FUNCIONAL x ADMINISTRATIVA. Cita duas cidades: Paris ou Roma.
- TAMANHO DA CIDADE x PRODUTIVIDADE. Explica que quando se dobra o tamanho da cidade, a produtividade cresce de 3% a 5%.
- SISTEMA DE GOVERNANÇA pode gerar produtividade nas cidades.
- FRAGMENTAÇÃO ADMINISTRATIVA é horizontal, gera menos produtividade e mais desigualdade.
- SISTEMA DE GOVERNANÇA INTEGRADO é mais inclusivo.
· PORTUGAL
- Nos deixaram a herança de governança centralizadora.
- Importância das cidades em desenvolvimento.
-Processo de difusão das ações bem sucedidas estimulam outros setores territoriais.
· FATORES QUE AUMENTAM A PRODUTIVA
- Capital humano e investimentos.
- Subvenção governamental.
- Compras e investimentos públicos.
- Governança metropolitana.
· ÁREAS DOMINANTES
- Transporte, Desenvolvimento econômico e Planejamento Urbano.
- Frente a centralidade criar sistema de governança metropolitana.
- Para gerar bem estar é preciso criar zonas igualitárias.
- Analise territorial da OECD.

DIA 08.06.2016 - 14 H
A REGIÃO QUE TEMOS; ESTRATÉGIAS DE DESENVOLVIMENTO
(Moderador: Vicente Trevas - Secret. Relações Internacionais e Federativas da Prefeitura de São Paulo)